Geração Y

Chegou ao Brasil, oficial e finalmente, o fenomenal iPhone. Fenomenal pelo alvoroço que causa em qualquer lugar: na blogosfera, no youtube, na roda de amigos. Com ele chegaram planos de dados mais acessíveis (por exemplo, na Vivo tem um plano de 71 reais mensais, para 50 minutos de voz e 250MB de dados), o que pode, no fim das contas, disseminar a internet banda larga para celular nas capitais deste país.

Obs: O engraçado é notar que é sempre muito mais fácil encontrar informações sobre qualquer serviço da Vivo fora do site da própria operadora…

O mais interessante é notar a faixa etária dos compradores, ou possíveis compradores, deste tipo de aparelho. Eles formam uma faixa especial da população, denominada Geração Y (ou Gen Y).

Essa geração Y envolve pessoas nascidas desde 1976 até a virada do milênio, que vivenciaram parte dos anos 80 e 90. E é esta geração que está no mercado agora, trabalhando, produzindo e consumindo.

Consumindo tecnologia

Estas pessoas, afeitas a tecnologia, são as que utilizam produtos como o iPhone, levando-o aos limites do que pode ser realizado:

El caso de iPhone o BlackBerry es sorprendente: ponlo en manos de cualquier adolescente, y en cinco minutos estará enganchado a la mensajería instantánea o a una red social, intercambiando mensajes, escribiendo en tablones, subiendo fotos, actualizando su aplicación de nanoblogging, leyendo páginas web y probando cuanta aplicación nueva le comenten sus amigos. –Blog de Enrique Dans

Diferente do mercado de “adultos”, ou “executivos”, que veêm os gadgets apenas como objetos de ostentação:

Un posicionamiento claramente orientado al mercado adulto, al del ejecutivo, al de la persona que se gasta sin pestañear doscientos euros o más en su factura de móvil… y, en muchos casos, tristemente, al que considera el teléfono como un símbolo de estatus o un objeto de moda y quiere presumir de teléfono.  –Blog de Enrique Dans

Este último mercado, composto por pessoas com dinheiro,  realmente gera lucro para a indústria, mas não a ajuda a se desenvolver, por utilizar tão somente o *telefone *de seus ultra modernos smartphones. Ficam apenas com o phone, deixando o smart de lado. Quem move a indústria de tecnologia atual é sua prole.

Muito se tem falado sobre esta geração Y pela web. Tendo a internet quase como uma extensão natural de seus próprios cérebros, esta geração também é chamada de Net Generation, ou netgen, como elaborado por Don Tapscott.

Trabalhando

Em sua relação com o trabalho, a Gen Y possui características próprias. Na verdade podemos interpretá-las como exacerbações de comportamentos dito modernos. Um jovem típico da Gen Y é responsável. Mas esta responsabilidade não se restringe ao profissional. Sendo assim ele pode sumir do trabalho, largando um projeto no meio, em um momento em que outros assuntos são mais importantes. E trabalhar em casa, em plena madrugada, para terminar o importante projeto inacabado.

Ele gosta de ambientes que o motivam *a produzir. Este ambiente precisa então ser alegre. O que não quer dizer que não seja sério. E este mesmo ambiente de trabalho deve ser desafiador.  O melhor é existirem *múltiplas tarefas/projetos com objetivos definidos, além de começo, meio e fim. Afinal, ele cresceu jogando videogame! Mais alguns pontos:

Ele aprende e trabalha com facilidade em rede; ele se interessa ou domina algumas dimensões ou expertises profissionais que geram processos ou produtos inovadores; possui intensa energia que resulta em superação de obstáculos com muitas restrições de qualidade, eficiência e tempo; ele está disponível para a ampliação de fronteiras geográficas, culturais ou de competências; ele não se conforma com desempenho medíocre. Enfim, “bem gerenciado”, é um profissional que se pode chamar de “alta performance” –Artigo de João Baptista Brandão

Corroborado logo abaixo:

O CEO da Deloitte me disse que a leva atual de jovens recrutados são os mais produtivos da história da organização. As empresas que não saciarem as necessidades desta geração verão seus novos empregados se frustrarem e saírem. –Entrevista com Don Tapscott

Sendo assim, se você é um GenYer, seja sábio e conheça a ti mesmo. Se você possui uma empresa, seja mais sábio ainda e aprenda a segurar estes sujeitos! =)